Alunos do Colégio Etapa conquistam uma medalha de prata e
duas menções honrosas na IMO 2017


Os três alunos do Colégio Etapa que representaram o Brasil na 58ª Olimpíada Internacional de Matemática – IMO 2017, considerada a mais importante olimpíada estudantil mundial, conquistaram uma medalha de prata e duas menções honrosas. Neste ano, a competição foi realizada pela primeira vez no Brasil, na cidade do Rio de Janeiro, entre os dias 12 e 23 de julho.

As provas da IMO ocorreram em dois dias consecutivos, nos quais os participantes tiveram quatro horas para resolver três questões por dia, cada uma delas valendo sete pontos. O objetivo não era chegar a uma resposta correta, mas sim resolver as questões da maneira mais eficiente possível.

  

Equipe brasileira no palco da IMO 2017

Os três alunos do Colégio Etapa que participaram da IMO foram: João César Campos Vargas, que conquistou medalha de prata; Pedro Henrique Sacramento Oliveira e André Yuji Hisatsuga, que receberam menções honrosas. Essa foi a terceira participação de João César Campos Vargas pelo Colégio Etapa na IMO (medalha de bronze, em 2015, e de prata, em 2016 e em 2017). Agora, João viajará para os Estados Unidos, onde cursará Matemática aplicada na Universidade Princeton. Pedro Henrique Sacramento Oliveira também se despede do Brasil após a competição e irá cursar Ciência da Computação na Universidade da Pennsylvania (UPenn). O jovem André Yuji Hisatsuga conquistou menção honrosa em sua primeira participação na IMO e pode concorrer a uma vaga para participar da próxima IMO, que ocorrerá na Romênia, em julho de 2018.

  

Pedro Henrique, André Yuji e João César, alunos do Etapa no palco da IMO 2017

Ao todo, a equipe brasileira formada por seis estudantes ganhou: duas medalhas de prata, uma medalha de bronze e três menções honrosas, colocando o Brasil na 37ª posição entre os 111 países competidores. A grande vencedora da competição foi a Coreia do Sul, que ficou em primeiro lugar com seis medalhas de ouro.

 

Histórico

Em 1979, o Brasil teve a sua primeira participação na IMO, e, desde então, os jovens brasileiros já ganharam 9 medalhas de ouro, sendo as últimas quatro conquistadas por alunos do Colégio Etapa; 43 medalhas de prata; 73 de bronze; e 32 menções honrosas.


Perfil dos alunos ETAPA na IMO 2017

João César Campos Vargas, 18 anos
Nascido na pequena cidade de Passa Tempo, em Minas Gerais, o ex-aluno do Colégio Etapa, João César Campos Vargas, de 18 anos, foi aprovado em três das melhores instituições de Ensino Superior do mundo: Massachusetts Institute of Technology (MIT), Universidade Yale e Universidade Princeton, onde estudará Matemática.

A primeira participação de João César Campos Vargas em competições estudantis foi no 6º ano do Ensino Fundamental, quando ele fez a prova da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP) e conquistou medalha de ouro. Hoje, ele já possui: uma medalha de bronze, em 2015, e duas pratas, em 2016 e 2017, na Olimpíada Internacional de Matemática (IMO); cinco medalhas de ouro na OBMEP; e duas medalhas, também de ouro, na Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM) – a mais antiga e mais tradicional olimpíada científica brasileira, que seleciona os estudantes para representarem o Brasil nas competições internacionais de matemática.

“Quero me tornar um pesquisador na área, mas também gosto de dar aulas”, diz Vargas. Antes de embarcar para a universidade, em agosto deste ano, ele alternará os papéis de aluno e professor – representando, pela terceira vez, o Brasil na IMO e ajudando na preparação de outros alunos do ETAPA que também participarão de olimpíadas nacionais e internacionais de matemática.

Pedro Henrique Sacramento de Oliveira, 17 anos
Gosta de Matemática, Informática e de ler, e pretende unir esses interesses cursando Ciência da Computação na Universidade da Pennsylvania (UPenn), onde foi aprovado no início deste ano.
Natural de Campinas, Pedro Henrique entrou no Colégio Etapa de Valinhos no 6º ano do Ensino Fundamental e, desde então, participou de diversas olimpíadas no Brasil e em outros países. “O que mais gosto nas competições é a oportunidade de conhecer pessoas de todas as partes do mundo com perfis e gostos semelhantes aos meus”, afirma Sacramento.

O estudante “coleciona” 59 medalhas em olimpíadas estudantis: 36 de Matemática, 9 de Física, 6 de Informática, 6 de Astronomia e 3 de Robótica, incluindo 2 medalhas de prata na Olimpíada Internacional de Matemática (IMO), em 2015 e 2016. Pedro Henrique Sacramento também ganhou 6 medalhas de ouro na Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM). Este ano, Pedro Henrique Sacramento ficou com uma menção honrosa por sua participação na IMO. Nas próximas semanas viajará para o Irã, onde participará da Olimpíada Internacional de Informática.

André Yuji Hisatsuga, 17 anos
Aluno da 3ª série do Ensino Médio do Colégio Etapa, é natural de São Paulo e começou a participar de olimpíadas científicas em 2011. Seu quadro de medalhas inclui prata na Olimpíada de Matemática do Cone Sul, em 2015, e ouro em quatro edições da Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM) 2012, 2013, 2014 e 2016. “Acho a matemática fascinante e o treinamento para olimpíadas do Colégio Etapa é o melhor do País”, afirma Hisatsuga.

Mas se engana quem pensa que André Yuji Hisatsuga só pensa em matemática. Entre as aulas regulares do Ensino Médio e o treinamento para as competições, o estudante encontra tempo para se divertir com jogos de estratégia e para dar aulas no Vontade Olímpica de Aprender (VOA!) - projeto voluntário que oferece aulas gratuitas de matemática, português e ciências para alunos de escolas públicas. “A experiência de ensinar é muito diferente e aprendemos bastante por meio dela. No começo foi difícil, mas as aulas ficam mais produtivas à medida que conhecemos melhor os alunos”, explica Hisatsuga.

Os planos para o futuro de André Yuji Hisatsuga, que acaba de obter uma menção honrosa em sua primeira participação na IMO, incluem fazer uma graduação nos Estados Unidos e trabalhar como professor no Brasil. “Meu sonho é ajudar os estudantes brasileiros a terem um desempenho melhor na IMO. Eu acredito que estamos no caminho certo, não é algo tão distante quanto parece. Pretendo estudar nos EUA, aprender com os americanos e trazer uma educação melhor pra cá".