Três alunos do Colégio Etapa são aprovados no MIT

Com isso, o Etapa alcança a marca de 21 alunos aprovados no Massachusetts Institute of Technology (MIT), que é um dos principais centros de estudo e pesquisa em ciências, engenharia e tecnologia do mundo

Três alunos do Colégio Etapa, sendo um de São Paulo e dois de Valinhos, foram aprovados no processo de admissão do Massachusetts Institute of Technology (MIT), primeiro colocado no ranking QS World University Rankings pelo sétimo ano consecutivo entre 4500 universidades do mundo inteiro. Em Valinhos, Thomas Bergamaschi; foi aceito no curso de Física e Engenharia Elétrica, enquanto Vinícius Figueira Armelin pretende cursar Química e Engenharia Química. Já em São Paulo, Pedro Lucas Lanaro Sponchiado foi aprovado no curso de Ciência da Computação do MIT.

Com essas três aprovações, o Colégio Etapa alcança a marca de 21 alunos aprovados no MIT desde que passou a oferecer a preparação para o processo de seleção de universidades internacionais. “Esse número é ainda mais relevante quando consideramos o perfil da instituição, que é uma das principais universidades do mundo e que dá grande valor à formação acadêmica dos alunos, incluindo a conquista de medalhas em competições científicas internacionais”, destaca Edmilson Motta, coordenador Geral do Etapa.

“O MIT é um dos principais centros de estudo e pesquisa em ciências, engenharia e tecnologia do mundo e é o sonho de muitos estudantes. Inclusive, há diversas famílias que se mudam de cidade para que os filhos tenham a melhor preparação possível, por isso esse é um projeto que requer o envolvimento de todos: família, colégio e uma grande dedicação do aluno”, explica Cristina Tavares, coordenadora do Setor Internacional do Colégio Etapa.

Considerando que o número de vagas nas melhores universidades americanas continua diminuindo, essas aprovações são ainda mais expressivas. Especificamente no caso do MIT, o percentual de estudantes que foram aceitos em 2018 foi de 6,74% contra 7.81% em 2016. “Por tudo isso é extremamente gratificante participar da conquista desses três alunos”, completa Tavares.

Além das aprovações já confirmadas, Lara Franciulli Teodoro de Souza, que também é aluna do Colégio Etapa, está entre os estudantes internacionais que integram a lista de espera (wait list) do MIT, com a possibilidade de também ser aceita na instituição.

Conheça mais sobre os três alunos do Colégio Etapa aprovados no MIT em 2019:

Thomas Ross-White Bergamaschi

Thomas Ross-White Bergamaschi tem 17 anos e se identifica com as disciplinas que oferecem soluções objetivas para os problemas do dia a dia, como a Matemática e a Física. Por conta dessa afinidade com a área de Exatas e da dedicação aos estudos, Thomas acabou se destacando em torneios científicos nacionais e internacionais e conquistou seis medalhas em cinco olimpíadas.

“A participação em competições contribuiu para que eu escolhesse uma carreira na área de Exatas e permitiu que eu transmitisse os conhecimentos que adquiri aos alunos de escolas públicas por meio de trabalhos voluntários”, comenta Thomas.

Nascido em São Paulo, Thomas entrou no Etapa em 2016, com o objetivo de se preparar para o processo de seleção das universidades internacionais. Ele, que já morou por sete anos nos Estados Unidos, tinha o plano de voltar ao país para estudar Engenharia no Massachusetts Institute of Technology (MIT), seguindo os passos do irmão, ex-aluno do Etapa, que também estuda na instituição.

Nas horas vagas, Thomas gosta de praticar kung-fu e de ler livros de Física e de ficção científica.

Vinícius Figueira Armelin

Vinícius Figueira Armelin tem apenas 17 anos, mas já fez história. Nos últimos dois anos, ele conquistou mais de 35 medalhas em olimpíadas científicas para estudantes, incluindo a inédita medalha de ouro para o Brasil na Olimpíada Internacional de Química 2018, na República Tcheca; a medalha de ouro (Top Gold*) na Olimpíada Ibero-Americana de Química 2018, em El Salvador; e a medalha de ouro, com a inédita nota 10, na Olimpíada de Química de São Paulo 2018.

O estudante tem o chamado “perfil olímpico”, termo que se refere a quem dedica a maior parte do tempo aos estudos com objetivo de conquistar os primeiros lugares nos rankings das olimpíadas estudantis. Até o final de 2018, ele assistia às aulas regulares do 3º ano do Ensino Médio, no período da manhã, e participava da prática de laboratório e dos treinamentos específicos para olimpíadas, oferecidos pelo Colégio Etapa de Valinhos.

Inspiração para outros alunos que sonham com medalhas e aprovações internacionais, Vinícius afirma que este é um trabalho de longo prazo. “Tenho me preparado para competições desde o início do Ensino Médio, sempre concentrado em me classificar para a Olimpíada Internacional de Química (IChO) e entrar na universidade dos meus sonhos. Tudo o que conquistei é resultado de muita dedicação, disciplina e esforço, além da infraestrutura e dos professores especializados do Colégio Etapa” afirma.

Pedro Lucas Lanaro Sponchiado

Pedro Lucas Lanaro Sponchiado, 18 anos, é natural de Santa Cruz do Rio Pardo e cursou o Ensino Médio no Colégio Etapa. E a mudança para o Etapa ocorreu justamente por conta da tradição do Colégio em olimpíadas estudantis.

“Os treinamentos para olimpíadas do Etapa incluem aulas com especialistas, simulados e tutoriais, mas, para mim, o mais eficaz é a oportunidade de me reunir com outros alunos que também amam a Matemática, pois trocamos conhecimento e evoluímos juntos”, explica.

Pedro participa de olimpíadas de Matemática, Física e Informática desde o 7º ano do Ensino Fundamental e vem colecionando medalhas ao longo dos anos, incluindo um ouro na Olimpíada Internacional de Matemática (IMO), em 2018.

Nos intervalos da preparação para as competições, Pedro gosta de resolver exercícios de Física e de Informática “para se distrair e, ao mesmo tempo, manter o cérebro atento”.

“Foi emocionante conferir a carta de admissão”, conta Sponchiado. “O que sempre me atraiu no MIT foi o fato da computação ser a sua especialidade e da instituição disponibilizar o conhecimento de forma útil para a sociedade”, explica. “Para mim, sempre esteve claro que era possível ser aceito em uma das melhores universidades do mundo por todo apoio que eu recebi dos professores do Colégio Etapa, do Setor Internacional e dos colegas”, completa o recém-aprovado no MIT.