“Tive que treinar muito para me sair bem na prova objetiva”

Para Matheus Takayasu, 17 anos, a preparação para o vestibular da Fuvest exigiu muito treino para a prova de questões objetivas. “Eu acho os testes muito cansativos e nos simulados acabava errando coisas fáceis por falta de atenção, por ler errado. Muitas vezes eu não tinha um bom desempenho e achava que isso poderia me prejudicar na primeira fase do vestibular” conta.

Para conseguir a desejada aprovação no curso de Engenharia de Materiais, Matheus equilibrou os estudos com descanso e momentos de lazer. “Os treinos diários com provas de múltipla escolha me deixaram mais tranquilo para o dia da prova da USP, mas também foi fundamental dormir bem. Fica muito mais difícil errar coisas banais quando se está descansado”, comenta ele que muitas vezes deixou de tocar com sua banda para descansar antes das provas.

Aluno do Etapa desde o 6º ano do Ensino Fundamental, Matheus atribui a escolha do curso superior aos treinamentos que participou para as olimpíadas de química. "A Engenharia de Materiais é a que tem mais Química, até mais que a própria Engenharia Química", comenta ele.

  

 

 Quer conhecer mais histórias? Clique aqui!